A criação do reconhecimento de adquiridos experienciais (RVCC) em Portugal - uma etnografia critica em educação de adultos A criação do reconhecimento de adquiridos experienciais (RVCC) em Portugal - uma etnografia critica em educação de adultos
20 janeiro, 2011

A criação do reconhecimento de adquiridos experienciais (RVCC) em Portugal - uma etnografia critica em educação de adultos

Nesta monografia dedicar-nos-emos à análise e interpretação dos dados resultantes de uma investigação empírica aprofundada, cujo objectivo transversal visou a compreensão de como são e como se processam as lógicas de acção na governação subnacional da educação e formação de adultos.
Assim, atendendo às múltiplas especificidades do contexto português cujo panorama sócio-histórico de políticas públicas para o sector emitiu, em apenas três décadas, distintos mandatos e suscitou, como vimos noutro lugar (ver Barros, 2009a), um considerável hibridismo de orientações no que que concerne ao modo de produção de politicas sociais, torna-se ainda mais pertinente, do ponto de vista analítico, considerar que a dimensão politica de todas as decisões em educação apresenta uma "topografia complexa" (cf. Lima, 1999a: 77), na qua não se pode ignorar que existe para além do nível estatal a possível "capacidade de intervir na formulação das políticas e, depois, ainda a capacidade de traduzir as políticas de formas distintas" (Lima, 1998d:23).

Com Prefácio do Dr. Alberto Melo e Comentários da Professora Doutora Carmen Cavaco e do Professor Doutor Luís Alcoforado

Na medida em que as práticas locais podem desencadear processos de construção efectiva e de reconstrução simbólica das decisões político-administrativas centrais, e dadas as características do sistema nacional de RVCC recentemente introduzido no panorama educacional português, interessou-nos procurar os possíveis dilemas que se colocam a um certo tipo de associativismo, com tradição reconhecida de intervenção crítica em educação de adultos, na exploração, deliberada ou não da sua própria margem relativa de acção, cujo potencial consiste na possibilidade de contrariar certa orientações de política.

Disponível em: UAlg - Universidade do Algarve

Deixe um comentário

Certifique-se de inserir todas as informações necessárias, indicadas por um asterisco (*). O código HTML não é permitido.

Não quer perder as novidades? Subscreva

Nome*
Email*

Nós não enviamos spam para sua caixa de correio.

Confirmo*

que li e aceito a Política de Privacidade

Subscrever


Temos por propósito fundamental contribuir para a reflexão conducente ao diálogo interdisciplinar entre vários domínios do conhecimento, nomeadamente nas áreas das ciências, das artes e da filosofia.