Revista OMNIA 3 Revista OMNIA 3
16 outubro, 2015

OMNIA 3

Nota introdutória

Neste terceiro número da OMNIA publicamos artigos sobre educação, saúde e qualidade de vida. Temas que nos conduzem àquele que pode ser considerado o grande objetivo das sociedades ocidentais: o bem-estar geral, isto é: o bem-estar de todos e de cada um.
O primeiro texto é de autoria de Mary Rangel e Jéssica Rodrigues que nos apresentam um estudo que destaca a importância da garantia dos direitos a todos os cidadãos, sem privilégios e sem discriminações para a construção e manutenção de uma sociedade democrática e plural, a partir da análise da Constituição Brasileira.
Rute e Helena Ralha-Simões, propõem uma reflexão crítica sobre os novos desafios do significativo acréscimo da população idosa nas sociedades ocidentais, problematizando os diversos caminhos que conduzem à qualidade de vida dos mais velhos.
Por sua vez Nora Cavaco apresenta-nos um texto que aborda o autismo numa perspetiva neuropsicológica de avaliação e reabilitação.
Luciany Faray Ferreira e Maria Helena Martins propõem-nos uma reflexão sobre os contributos da coparentalidade, coesão e adaptabilidade para a resiliência familiar em resposta às necessidades advindas do nascimento de uma criança com necessidades educativas especiais.
Nuno Murcho, José Eusébio Pacheco e Saul Neves de Jesus apresentamnos um estudo de validação de um instrumento que permite avaliar a variável que pretende medir os sintomas de mal-estar relacionados com o trabalho.
Estudo efetuado em várias unidades hospitalares localizadas no Algarve (Portugal).
Luís Vieira, Alicia Saxe, e Sara Gonçalves apresentam-nos dois estudos onde se avaliam os contributos de diferentes intervenções de educação positiva no bem-estar subjetivo, propondo o debate e a reflexão sobre a eficácia da adoção de diferentes estratégias de educação positiva em contexto escolar.
Jorge Malveiro e Saul Neves de Jesus apresentam-nos um estudo comparativo da perceção da qualidade de vida em idosos institucionalizados.
Estudo comparativo efetuado com idosos residentes da Aldeia-lar de S. José de Alcalar em Portimão (Portugal), idosos residentes em Lares de Idosos, e idosos utentes de Centros de Dia/Convívio.
Finalmente, Nathália Brandolim Becker e Maria Geralda Viana Heleno apresentam-nos um estudo de caso para avaliar a qualidade de vida, a dinâmica psíquica e os níveis glicémicos de uma pessoa com Diabetes Mellitus de tipo 2, participante de um grupo psicoeducacional.
Um ano após a saída do nosso primeiro número, esperemos que este projeto se possa agora consolidar e que a chegada de novos colaboradores possa contribuir para uma maior pluralidade de temas e a sua integração recíproca.
Francisco Baptista Gil

Os direitos fundamentais no Brasil
Como referências à qualidade de vida
Mary Rangel e Jéssica do Nascimento Rodrigues

Envelhecimento e qualidade de vida
Para além da integridade e do desespero
Rute Ralha-Simões e Helena Ralha-Simões

Autismo
Uma perspetiva neuropsicológica
Nora Almeida Cavaco

A família da criança com NEE
Resiliência familiar: contributos da coparentalidade, coesão e adaptabilidade
Luciany Faray Ferreira e Maria Helena Martins

O mal-estar relacionado com o trabalho
Estudo das propriedades psicométricas de um inventário de sintomas (ISMERT)
Nuno Murcho, José Eusébio Pacheco e Saul Neves de Jesus

Educação positiva e bem-estar subjetivo
Impacto de diferentes estratégias no 1.º ciclo do ensino básico
Luís Sérgio Vieira, Alicia Brianna Saxe e Sara Gonçalves

A percepção da qualidade de vida
Um estudo comparativo de idosos institucionalizados
J. A. Malveiro e Saul Neves de Jesus

Diabetes Mellitus tipo2:
Qualidade de vida, educação e equilíbrio psíquico
Nathália Brandolim Becker e Maria Geralda Viana Heleno

Deixe um comentário

Certifique-se de inserir todas as informações necessárias, indicadas por um asterisco (*). O código HTML não é permitido.

Não quer perder as novidades? Subscreva

Nome*
Email*

Nós não enviamos spam para sua caixa de correio.

Confirmo*

que li e aceito a Política de Privacidade

Subscrever


Temos por propósito fundamental contribuir para a reflexão conducente ao diálogo interdisciplinar entre vários domínios do conhecimento, nomeadamente nas áreas das ciências, das artes e da filosofia.