Exibir por etiqueta: Cadernos do GREI

segunda-feira, 12 janeiro 2015 01:05

Desmistificando os Videojogos

O jogo esteve sempre presente em várias culturas e civilizações. Com as novas tecnologias digitais, o Homem passou a experienciar novas formas de sentir, pensar, agir e interagir, utilizando a máquina (seja o computador, a consola, o telemóvel ou outro tipo de tecnologia) como um meio de comunicação… uma nova maneira de estar na e em sociedade.

Apesar dos conceitos proféticos dos grandes educadores, a pedagogia tradicional sempre considerou o jogo como uma espécie de alteração mental (…) sem significação funcional e mesmo nociva às crianças (…).
Por seu lado, o senso-comum psicológico (…) só via no jogo uma distração e a manifestação de um desperdício de energia (…).
Jean Piaget in La formation du symbole chez l’enfant – Imitation, jeu et rêve, image et représentation (1964)

Suporte social e bem-estar subjetivo
Autor: Brigite Micaela Henriques

Publicado em Cadernos do GREI
segunda-feira, 08 dezembro 2014 00:54

A Identidade do Professor

Partindo de uma abordagem sociopsicológica que equaciona determinados aspetos da pessoalidade e da profissionalidade, com base em modelos e teorias relativos à problemática da identidade, procura-se delinear um quadro de referência que possa contribuir para compreender e superar a crise identitária que, nos nossos dias, dificulta a construção de uma adequada identidade do professor.

Queria saber se me mudaram esta noite! Deixa-me pensar: será que eu era a mesma quando me levantei esta manhã?
Quase diria que consigo lembrar-me que me senti um pouco diferente.
Mas se não sou a mesma, então há que perguntar: Quem sou eu neste mundo? Ah! Este é um grande quebra-cabeças!
Lewis Carroll, in Alice’s adventures in Wonderland (1865)

Uma abordagem sociopsicológica do desenvolvimento pessoal e social
Autor: Carlos Marques Simões

 
Publicado em Cadernos do GREI
sábado, 15 novembro 2014 00:49

Teorias Leigas em Pessoas Idosas

As teorias leigas – também designadas de senso comum ou ingénuas – constituem marcos de referência que influenciam a percepção e a interpretação da informação relativa aos aspetos sociais e aos pensamentos com eles relacionados. Podem ser aplicadas a diferentes domínios, como é o caso da saúde e da doença, e ser focalizadas junto de populações diversas, nomeadamente o grupo de idosos.

(…) Todos os valores do indivíduo estão organizados num sistema único cuja preservação é essencial para o indivíduo (…).
Este vê o mundo segundo a sua própria perspectiva, encarando-se a si mesmo como o centro.
Todo o valor que penetre no sistema e seja inconsistente com a própria avaliação que o indivíduo faz de si mesmo não poderá ser assimilado (…).
Prescott Lecky
in Self-consistency: A theory of personality (1961)

Principais desafios na área da saúde e da doença.
Autor: Cláudia Luísa

Publicado em Cadernos do GREI
quarta-feira, 08 outubro 2014 00:40

Ensaio Sobre Pedagogia-educação Social

Este ensaio retoma traços da herança teórico-conceptual na pedagogia-educação social para um saber de tipo emancipatório. Defende-se a reconstrução dum paradigma de resistência à opressão no trato político da questão social que combata a consolidação do Estado Social mínimo. Deixam-se pistas para um movimento global que promulgue o direito a uma educação herdeira dos pressupostos freirianos e da educação permanente.

(…) Mas toda a educação deve tornar-se pessoal (…).
Noutros termos, não é o saber que deve ser inculcado, é a personalidade que deve atingir a sua expansão própria.
O ponto de partida da pedagogia não deve ser o de civilizar, mas o de formar personalidades livres.
Max Stirner in Escritos menores (1842)

Pensar as repercussões da filosofia político-pedagógica de Paulo Freire
Autor: Rosanna Barros

Publicado em Cadernos do GREI
quarta-feira, 10 setembro 2014 00:34

Relações Que Curam

O Homem é um ser naturalmente relacional, e as interações que desenvolve na sua dimensão espiritual - seja com o Divino seja com outros que partilham a mesma visão do mundo – modelam a forma como vive e interpreta os acontecimentos da sua vida, mesmo em momentos críticos, podendo funcionar como promotores de estados de saúde e bem-estar.

O Deus (...) autor das verdades geométricas e da ordem dos elementos (...) que exerce a sua providência sobre a vida e sobre os bens dos homens (...) é um Deus que enche a alma e o coração daqueles que possui (...) que se une no fundo da sua alma (...).
Blaise Pascal
in Pensées (1670)

A evolução espiritual como fator de saúde e bem-estar psicológico.
Autor: Carla Fonseca Tomás

Publicado em Cadernos do GREI
quinta-feira, 10 julho 2014 00:28

Resiliência e Profissionalidade

Face aos múltiplos desafios colocados pela sociedade atual, a profissionalidade docente tornou-se uma temática controversa onde confluem olhares díspares que, todavia, admitem a importância da construção do professor. Neste contexto, é necessária uma reflexão que considere a maturidade enquanto fator de competência e contribua para uma perspetiva que assume a resiliência como um novo objetivo para a profissão docente.

Um novo tipo de professor, um novo estilo de acção e relação educativa são exigidos por novos contextos sociais e culturais, por novos interesses e atitudes juvenis.
Cada vez se tornará mais difícil ao professor [ser] provedor de um saber que não dá resposta às curiosidades mais vivas e às perplexidades mais fundas (…).
Rui Grácio in Os professores e a reforma do ensino (1973)

A competência do professor enquanto contributo para uma nova perspetiva.
Autor: Helena Ralha-Simões

 
Publicado em Cadernos do GREI
segunda-feira, 09 junho 2014 00:24

Integração ou Inclusão?

As necessidades educativas especiais continuam a ser uma realidade na nossa sociedade e nas nossas escolas a que nem sempre é dada a resposta mais adequada. É por isso importante refletir sobre a integração e a verdade de uma prática inclusiva, o que exige problematizar muitos tópicos incluindo a atuação dos profissionais que aí intervêm e das próprias famílias.

As escolas (...) são um organismo que funciona há centenas de anos, incluem todo um conjunto de funcionários, uma hierarquia, tomadas de posição, tradições, interesses pessoais e até dogmas.
Todo este conjunto tem tendência a manter-se, a resistir lutando contra as mudanças, mesmo quando estas mudanças poderiam representar progressos.
Alfred Binet in Les idées modernes sur les enfants (1909)

Contributo para uma prática educativa inclusiva.
Autor: Nora Almeida Cavaco

Publicado em Cadernos do GREI
domingo, 11 maio 2014 00:18

A Economia do Medo

A partir duma reflexão sociopsicológica, este texto procura perspetivar as origens da crise portuguesa, contextualizando as suas circunstâncias politico-económicas, assim como as subjacentes dimensões sociais, psicológicas, éticas e culturais. Através de um ponto de vista crítico e comprometido ideologicamente, pretende-se compreender a ascensão dos novos super-ricos globais, isto é os plutocratas, e as suas consequências para a presente situação mundial.

Acordai homens que dormis a embalar a dor dos silêncios vis (...). Acordai raios e tufões que dormis no ar e nas multidões, vinde incendiar de astros e canções as pedras do mar o mundo e os corações.
Acendei de almas e de sóis este mar sem cais nem luz de faróis e acordai (...) os nossos heróis que dormem nos covais.
José Gomes Ferreira in Acordai – letra de“Canção de Luta” musicada por Fernando Lopes Graça (1945)

Uma reflexão sociopsicológica sobre as origens da crise portuguesa.
Autor: Carlos Marques Simões

 
Publicado em Cadernos do GREI
segunda-feira, 05 maio 2014 00:13

A Escuridão Entre as Estrelas

É na relação com o outro que os sujeitos procuram o sentido da proteção em momentos difíceis da vida. A partir dos cuidados que recebem, criam representações mentais, que os ajudam a interpretar os acontecimentos do quotidiano. O seu bem-estar psicológico depende da presença de outros significativos, sejam eles figuras humanas ou através de relações vinculativas com o Divino.

O amor é um estado extraordinário, profundo, terno e compensador.
Devido à sua natureza íntima e pessoal é considerado por alguns como um assunto impróprio para a investigação (...).
O pouco que sabemos do amor (...) e o pouco que escrevemos a seu respeito foi mais bem escrito por poetas e romancistas (...)
Harry F. Harlow
in A natureza do amor (1958)

Vinculação a Deus, relação com o divino e espiritualidade.
Autor: Carla Fonseca Tomás

Publicado em Cadernos do GREI
domingo, 27 abril 2014 23:49

Saúde Mental Comunitária

Este texto tem como objetivo refletir sobre a problemática da saúde mental nos cuidados primários de saúde, uma vez que este nível de cuidados tem um papel crucial na promoção da saúde mental, na prevenção da doença mental, bem como no diagnóstico precoce e no tratamento imediato dos transtornos mentais, apontando para a necessidade de um maior investimento nesta área.

(...) em toda a história os homens tentaram (...) estabelecer ligações inexistentes entre saúde e virtude, doença e pecado.
Tudo se passa como se os homens não pudessem aceitar, e ainda não possam aceitar, que homens bons podem ser doentes e homens maus podem ser sadios.
Thomas S. Szasz
in A fabricação da loucura (1971)

Uma perspetiva de integração nos cuidados de saúde primários.
Autor: Nuno Murcho

Publicado em Cadernos do GREI
Pág. 2 de 4

Não quer perder as novidades? Subscreva

Nome*
Email*

Nós não enviamos spam para sua caixa de correio.

Confirmo*

que li e aceito a Política de Privacidade

Subscrever


Temos por propósito fundamental contribuir para a reflexão conducente ao diálogo interdisciplinar entre vários domínios do conhecimento, nomeadamente nas áreas das ciências, das artes e da filosofia.