Exibir por etiqueta: Maria Helena Martins

Este livro, sob a organização e coordenação de Helena Ralha-Simões, é uma coletânea de estudos, investigações e reflexões em torno de uma realidade que começou a emergir a partir dos anos 70 e foi recebendo sentidos e interpretações distintas no decorrer dos últimos 40 anos, em vários países e, porventura, continentes.

Os temas aqui desenvolvidos vão da triangulação epistemológica dos conceitos de resiliência, identidade e pessoalidade (Carlos Marques Simões), a um conceito interdisciplinar, ainda vago e à procura do futuro (Helena Ralha-Simões), passando pela resiliência em português: do soletrar ao senso comum (Ana Maria Albuquerque), como salto para a adaptação (Celeste Simões) ou em situações de violência (Simone Gonçalves de Assis, Suely Ferreira Deslandes e Fernanda Serpeloni), focalizando finalmente o envelhecimento com resiliência e sabedoria (Maria Helena Martins), os conceitos e contextos de resiliência (Nuno Álvaro C. Murcho) e a espiritualidade e a resiliência (Carla Fonseca Tomás).

A resiliência humana, nas sociedades dos nossos dias, interpela-nos diretamente, num reequilíbrio permanente, dinâmico e dialético que atravessa, envolve e contagia a realidade física, biológica, psicológica, social, cultural, espiritual e se condensa e exprime como o seu autêntico modo de ser, de estar e de se tornar mais humano.

Continuar a investigar, a estudar e a refletir sobre a resiliência é um tema sério que se tornou mais urgente e obrigatório nas sociedades globalizadas emergentes dos nossos dias em que a resiliência é e será uma espécie de modo de ser e de estar do ser humano na sua grande aventura consciente e livre de se tornar mais humano e de ser feliz.

Autores: Helena Ralha-Simões (organização), Carlos Marques Simões, Ana Maria Albuquerque, Celeste Simões, Simone Gonçalves de Assis, Suely Ferreira Deslandes, Fernanda Serpeloni, Maria Helena Martins, Nuno Álvaro C. Murcho e Carla Fonseca Tomás

Poderá ser adquirido em:

Resiliência - Novos olhares face aos desafios do nosso tempo (SitiodoLivro.pt)

Publicado em Livros
terça-feira, 09 junho 2015 13:48

Educar para a Paz

A Educação para a Paz é sem dúvida uma das grandes preocupações deste milénio, dado que um dos desafios mais importantes da humanidade passa por escolher os meios capazes para alterar atitudes, valores e comportamentos de forma a promover a construção de uma cultura de paz e de resiliência que permita eficazmente ultrapassar as adversidades que surgem no dia-a-dia.

Com mãos se faz a paz se faz a guerra, com mãos tudo se faz e se desfaz (…).
E cravam-se no Tempo como farpas, as mãos que vês nas coisas transformadas.
Folhas que vão no vento: verdes harpas.
De mãos é cada flor, cada cidade. Ninguém pode vencer estas espadas: nas tuas mãos começa a liberdade.
Manuel Alegre in O Canto e as Armas (1967)

Importância de promover os pilares da resiliência educacional.
Autor: Maria Helena Martins

Publicado em Cadernos do GREI
quinta-feira, 12 fevereiro 2015 01:59

Envelhecimento e Resiliência

Nas últimas décadas o envelhecimento populacional a nível mundial, aliado ao aumento da prevalência de doenças relacionadas com a idade tem despertado grande interesse pelas suas consequências multidimensionais. Não obstante as adversidades e perdas que se colocam ao idoso, é fundamental que esta etapa seja vivida com maior qualidade e resiliência, constituindo-se como um dos grandes desafios do século XXI.

(...) tenho a velhice diante de mim e tenho medo de tê-la deixado para trás.
O mundo que corresponde aos meus anos e ao meu corpo é muito diferente, porque a velhice é o mundo da verdade cansada, embora não da idade esmagada; (...) não sinto o peso da idade no espírito, embora o sinta no corpo.(...) mas o espírito está vigoroso e (...) afirma sem pejo que esta idade é a flor dos seus anos.
Séneca, Elogio da Velhice , in Cartas a Lucílio (63-64 d.C.)

Perspetivas para a reabilitação do idoso.
Autor: Maria Helena Martins

Publicado em Cadernos do GREI
quinta-feira, 20 fevereiro 2014 23:23

Resiliência Familiar

As investigações sobre a resiliência iniciaram-se com estudos sobre indivíduos que sobreviveram a traumas e adversidades, alargando-se recentemente ao domínio da família. O conceito de resiliência familiar designa os processos de superação e adaptação da família como unidade funcional e permite compreender como estes processos moderam o stresse e possibilitam às famílias fazer face às adversidades e superar as crises.

É dificil [viver] em tempos como estes: crescem dentro de nós ideais, sonhos e esperanças, que são esmagados pela cruel realidade.
É de admirar que eu ainda não tenha abandonado todos os meus ideais, pois parecem tão absurdos e impraticáveis.
E no entanto agarro-me a eles porque ainda acredito, (...), que as pessoas são verdadeiramente boas(...).
Anne Frank in Diário (1944)

Revisão teórica, conceitos emergentes e principais desafios.
Autor: Maria Helena Martins

Publicado em Cadernos do GREI

Não quer perder as novidades? Subscreva

Nome*
Email*

Nós não enviamos spam para sua caixa de correio.

Confirmo*

que li e aceito a Política de Privacidade

Subscrever


Temos por propósito fundamental contribuir para a reflexão conducente ao diálogo interdisciplinar entre vários domínios do conhecimento, nomeadamente nas áreas das ciências, das artes e da filosofia.